Mensagem Geral 

“O Salmão está em risco, consequência das alterações ambientais e das atividades humanas em todo o hemisfério norte. 
As migrações épicas do salmão através dos rios e oceanos levam-no além-fronteiras, línguas, culturas e economias. Salvar estas criaturas belas e influentes requer uma solução exclusiva em larga escala. O Ano Internacional do Salmão pretende proteger o salmão reunindo pessoas para partilhar conhecimento e consciencializar a população a agir. 
Temos a chance de salvar não apenas o salmão, mas também as comunidades e culturas que dependem deles.”

 

Enquadramento

O Ano Internacional do Salmão (IYS - International Year of the Salmon) que decorrerá ao longo de todo o ano de 2019, é uma comemoração de âmbito global, na qual estão envolvidas a NASCO – Organização para a conservação do Salmão do Atlântico Norte, e a NPAFC – Comissão do Pacífico Norte para as pescarias de espécies anádromas. 

           

O IYS nasceu da necessidade de compreender as incertezas, tanto no contexto ecológico, como social, em torno do salmão. Desde a década de 90, os relatórios científicos revelam um decréscimo dos stocks no Atlântico, tendência esta, acompanhada pelos stocks do Pacífico. Por ser improvável tratar-se de uma coincidência, os cientistas acreditam que as alterações climáticas à escala global poderão estar na origem deste fenómeno e que a resiliência das espécies em causa está a ser testada. Por essa razão, o IYS surge como uma oportunidade de convergir esforços, conhecimento e experiências de ambas as Organizações Regionais de Gestão da Pesca. 
Apesar de não ser um recurso de pesca expressivo em Portugal, somos geograficamente, o extremo sul da distribuição espacial no Atlântico nordeste. É nas águas dos rios Minho e Lima que a espécie “coloca à prova” a sua constituição genética, permitindo a sua adaptação ao cenário real de aquecimento global. 

 

| Eventos no Âmbito do IYS

| Ciclo de Vida do Salmão

Projeto MIGRA MIÑO – MINHO

Aquamuseu do Rio Minho