Enquadramento
 

O projeto OceanWise tem como objetivo contribuir para a redução do impacto do lixo marinho, especificamente do lixo marinho composto de poliestireno expandido (EPS e XPS) (esferovites e outros tipos de plásticos expandidos de poliestireno). Pretende-se desenvolver um conjunto de medidas de longo-prazo, tendo em conta todo o ciclo de vida dos produtos de EPS/XPS com vista à boa gestão transnacional de lixo marinho no espaço Atlântico nordeste.

Focado nos princípios da Economia Circular e recorrendo a metodologias participativas, pretende gerar novas e melhores práticas nos setores que utilizam, fabricam ou reciclam EPS e XPS. São objetivos específicos:

  • Identificar os produtos de EPS/XPS mais propensos a atingir o meio marinho e a impactar os ecossistemas;
  • Propor e testar opções plausíveis (reduzir, reutilizar, reciclar, recuperar) para alcançar melhores resultados ambientais em diferentes setores;
  • Envolver comunidades de produtores e designers em reflexões sobre a sustentabilidade de aplicações específicas e explorar modelos mais circulares;
  • Desenvolver metodologias orientadas para uma economia circular, avaliar novas oportunidades, barreiras e opções para medidas e decisões políticas.

O projeto tem por base a Diretiva Quadro da Estratégia Marinha-Marinha e o Plano de Ação Regional para o Lixo Marinho da Convenção OSPAR, contribuindo para o desenvolvimento da ação n.º.49 deste plano de ação, focada na "prevalência e impacto do EPS no meio marinho".

Os objetivos do OceanWise alinham-se com o dossiê Economia Circular para a Europa.

Valor de investimento: 2,853,536.78€, dos quais 2,140,152.60€ correspondem a cofinanciamento europeu (75%).

 

https://www.dgrm.mm.gov.pt/documents/20143/33482/Icon_seta.png/58565bb3-d601-1899-79f4-4b57b1eafaf9?t=1512388133483 O Consórcio OceanWise

A DGRM lidera o projeto OceanWise, tendo constituído parceria com mais doze entidades públicas e privadas de todo o arco Atlântico (Portugal, Espanha, França, Irlanda e Reino Unido). Adicionalmente, a Convenção OSPAR é parceira associada. São estes os parceiros OceanWise:

Portugal

  • Direção-Geral dos Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos (coordenador)
  • Universidade NOVA de Lisboa – Faculdade de Ciências e Tecnologia
  • Sociedade Ponto Verde

Irlanda

  • Department of Housing, Planning, Community and Local Planning
  • University College Cork, National University of Ireland
  • Repak, Lda
  • BIM - Bord Iascaigh Mhara

França

  • Université Bretagne Sud
  • Cedre - Centre de documentation,de recherche et d'expérimentations sur les pollutions accidentelles des Eaux
  • ICCI SEA BIRD

Reino Unido

  • Cefas - Centre for Environment Fisheries and Aquaculture Science

Espanha

  • Centro Tecnológico del Mar – Fundación CETMAR
  • Sustainability Innovation, Sociedad Limitada - SUSTAINN

 

https://www.dgrm.mm.gov.pt/documents/20143/33482/Icon_seta.png/58565bb3-d601-1899-79f4-4b57b1eafaf9?t=1512388133483 Um Desafio Comum

O EPS/XPS no meio marinho é um problema comum em torno das costas e do mar do Atlântico da União Europeia. É particularmente preocupante devido às grandes quantidades encontradas nas praias e ao risco que representa para a vida selvagem marinha e, potencialmente, para a saúde humana. O EPS/XPS é um material de espuma de plástico utilizado globalmente em embalagens e isolamentos, inclusive como bandejas de alimentos, recipientes de bebidas / alimentos e caixas de peixe. Embora o EPS e o XPS sejam recicláveis, com frequência isso não acontece efetivamente, devido à muito baixa relação custo-eficácia do transporte e reciclagem de material expandido.

EPS numa paria (Foto cedida por Sandra Moutinho)

O EPS e o XPS pesam pouco em comparação com o seu volume, o que torna muito económico quando comparado com outras opções de embalagem. Também é considerado seguro para uso com alimentos. A sua leveza tem como consequência ser facilmente levado pelo vento a partir de lixeiras e aterros sanitários.

Além disso, não são biodegradáveis e tendem a fragmentar-se, podendo pequenos pedaços viajar longas distâncias. Assim, podem tornar-se lixo marinho e fragmentar-se em microplásticos que persistem no mar e contaminam a cadeia alimentar. De acordo com as pesquisas de monitorização de praias OSPAR, pequenos pedaços de plástico / poliestireno estão entre os tipos mais comuns de itens de lixo marinho encontrados.

O projeto OceanWise pretende enfrentar este desafio desenvolvendo conhecimento para reduzir os impactos do EPS/XPS e aumentar a capacidade das autoridades competentes e setores-chave em toda a região do Atlântico para implementar opções de gestão mais sustentáveis.

 

https://www.dgrm.mm.gov.pt/documents/20143/33482/Icon_seta.png/58565bb3-d601-1899-79f4-4b57b1eafaf9?t=1512388133483 Link para o sítio web do projeto