Breadcrumbs

 
 Enquadramento
 
A instalação portuária ou porto objeto de um incidente de proteção deve elaborar um relatório dos factos ocorridos e do procedimento seguido, o qual deve ser imediatamente enviado à ACPTMP - Autoridade Competente para a Proteção do Transporte Marítimo, com cópia para o CCOPP - Centro Coordenador de Operações de Proteção do Porto, e conservado, pela instalação portuária ou porto, durante pelo menos três anos, conforme refere o n.º 1, do art. 32.º do Decreto-Lei nº 226/2006, de 15 de novembro.
 
A transmissão da informação do incidente de proteção à Autoridade Competente para a Proteção do Transporte Marítimo e dos Portos (ACPTMP) e ao Centro Coordenador de Operações de Proteção do Porto (CCOPP), permitirá que estas entidades ajam adequadamente na contenção dos efeitos do incidente de proteção, de acordo com a sua natureza e dimensão. Igualmente, esta informação permitirá avaliar a correlação entre incidentes de proteção ocorridos em uma ou mais instalações portuárias.
 
No sentido de agilizar o processo de comunicação entre o oficial de proteção (dos portos ou das instalações portuárias) e a ACPTMP, é publicado um modelo de relatório de comunicação de incidentes de proteção em instalações portuárias ou portos e as respetivas instruções de preenchimento, de forma a providenciar aos oficiais de proteção e a esta autoridade (ACPTMP) uma ferramenta de relato dos factos ocorridos e de análise do incidente de proteção, que contém toda a informação pertinente.
 
Modelo de Relatório de Incidente de Proteção.dot 
 Download (169Kbytes)
 
Modelo de Relatório de Incidente de Proteção.dotx
 Download (66Kbytes)
 
Modelo de Relatório de Incidente de Proteção.pdf
 Download (108Kbytes)
 
Instruções de Preenchimento de Relatório de Incidente de Proteção.pdf
 Download (79Kbytes)